Atenção!

Este portal não está homologado para o seu navegador, portando, erros poderão ocorrer.
Para evitar falhas utilize: Internet Explorer 7, Mozilla Firefox 3, Google Chrome 2, Apple Safari 5 ou versões superiores.

X Fechar

IBS na Mídia

Em destaqueFGV integra grupo fundador da EQUAA, nova acreditadora internacional

Aumentar Fonte Diminuir Fonte Fonte Normal
 

O pró-reitor da Fundação Getulio Vargas, Antonio Freitas, tomou posse como presidente do Conselho Consultivo Internacional da Education Quality Acreditation Agency (EQUAA). O conselho é o órgão máximo dessa agência, recentemente criada com o objetivo de atestar a qualidade da educação em instituições de ensino superior, especialmente na América Latina, mas também na África, Ásia, Oceania e no Centro e no Leste Europeu.

 

“O objetivo é fazer, também, com que instituições frágeis consigam atingir um padrão internacional de qualidade na educação, respeitando-se suas características e mantendo estreita colaboração com todas as partes interessadas – professores, estudantes, graduados e empregadores – na busca dos padrões necessários para obter a acreditação”, afirma Freitas.

 

A EQUAA, uma organização não governamental sob a forma de uma associação sem fins lucrativos, reúne professores que atuam de forma voluntária e tem como parceiros a The Central and East European Management Development Association (CEEMAN) – que atua no Leste Europeu; a European Council for Business Education (EBCE); a Associação Italiana de Gestão da Educação (ASFOR); e a EFMD Global Network.  A FGV é uma das instituições fundadoras da EQUAA, que tem o seu conselho consultivo internacional composto por membros do Brasil, Peru, Colômbia, México, Eslovênia, Canadá, Estados Unidos, Alemanha, Espanha e Argentina. 

 

O trabalho realizado pela EQUAA, globalmente, visa a estimular o intercâmbio de professores e alunos entre instituições, principalmente da América Latina, para promover a troca de experiências entre os participantes e difundir as experiências positivas entre as instituições participantes. “A atuação da EQUAA tem relevância especial em países em desenvolvimento que não possuem Ministério de Educação, e demandam acreditação internacional para que possam ser oferecidos cursos de pós-graduação”, explica Freitas. E acrescenta: “É grande o desafio de tentar melhorar a qualidade da educação no Brasil e na América Latina. Maior ainda o de globalizar a educação em padrão internacional para dar aos jovens condições de ter acesso a uma educação que gere oportunidades profissionais e trânsito de professores e alunos, inclusive em empresas e escolas que atuam em vários países”.

 

Publicado na FGV Notícias



 
Voltar pra todos