Atenção!

Este portal não está homologado para o seu navegador, portando, erros poderão ocorrer.
Para evitar falhas utilize: Internet Explorer 7, Mozilla Firefox 3, Google Chrome 2, Apple Safari 5 ou versões superiores.

X Fechar

Notícias

Em destaqueComo dar a volta por cima depois de uma demissão

Aumentar Fonte Diminuir Fonte Fonte Normal
 

A perda de um emprego é um momento de grande dor, uma das piores experiências da vida de um indivíduo. Pode parecer exagero, mas para muitos essa é uma perda comparável à morte de uma pessoa próxima ou à notícia de uma doença grave.

Mas é possível dar a volta por cima mais rápido quando se tem ajuda. E por isso, neste momento em que o Brasil volta a viver uma onda de demissões, compartilho algumas dicas que dividi com meus clientes em 35 anos de carreira atuando em recolocação e coaching de executivos. Longe de tratá-las como "passo-a-passo" para garantir uma recolocação, mas elas podem servir como uma orientação para quem não sabe por onde começar.

1 - Ao receber a notícia de que está sem emprego, a primeira coisa a fazer é ir para casa e administrar suas emoções. Depois, com calma, faça uma descrição de como se apresentaria, em até três minutos, a um futuro empregador. Isso fará com que você desenvolva um raciocínio lógico a respeito de sua saída e afaste a influência de suas emoções numa apresentação;

2 - Faça uma lista de todas as situações, problemas, projetos e trabalhos que você resolveu em sua vida profissional. Descreva como fez isso e que resultados a empresa obteve com suas ações. Além de um importante material para seu currículo, esse exercício vai deixá-lo mais preparado para entrevistas;

3 - Identifique as competências que você usou para alcançar os resultados apontados. Elas te darão uma dica sobre as circunstâncias em que você pode gerar mais resultado e, assim, enxergar melhor o seu perfil. Isso é útil para seu currículo, para seu desempenho nas entrevistas e para a escolha do tipo de empresa em que você gostaria de trabalhar;

4 - Só então, com todo esse material, é que se deve escrever o currículo. Ele deve ser muito claro: logo no topo, após seus dados pessoais, especifique qual é o seu objetivo de trabalho. Todo o restante deve justificar esse objetivo.

5 - Qualquer pessoa com quem você se relaciona pode ter uma informação importante para o seu projeto de conseguir um novo emprego - antigos colegas de trabalho e chefes, amigos de faculdade e até mesmo pais dos colegas do seu filho. Faça uma lista com todos os nomes que lembrar e anote qual será seu objetivo ao falar com cada um deles. O objetivo não é pedir ao outro que resolva o seu problema, mas que lhe sinalize oportunidades ou que conte para outras pessoas sobre seu projeto. Está provado que 80% das chances de recolocação estão na boa utilização da rede de contatos;

6 - Pesquise quais são as empresas de seleção para as quais você pode mandar o seu currículo. Mas não fique parado, esperando ser chamado. As entrevistas só surgirão se houver uma vaga que se encaixa ao seu perfil;

7 - Prepare-se para as entrevistas. Peça a alguém da sua confiança para exercitá-lo com perguntas que te desafiem e o deixem pronto para falar sobre você. Quando receber uma proposta de emprego e tiver dúvidas sobre algum pacote de salário e benefícios, procure se aconselhar com um profissional da área de RH;

8 - Não descuide da sua aparência pessoal. É importante manter a forma física, cabelo e barba aparados, unhas bem cuidadas e usar roupas discretas, adequadas a um processo profissional de seleção;

9 - Faça um orçamento pessoal com uma projeção para seis meses. Mas não corte gastos que podem ser fundamentais na busca por um novo trabalho, como assinatura de um jornal ou revista e a presença em eventos que permitam ampliar sua rede de relacionamentos. Se puder, evite cortar despesas que afetem suas relações familiares, como tirar o filho da escola particular ou deixar de comprar um presente de aniversário para o cônjuge. Os familiares e amigos são o nosso maior suporte neste processo de transição;

10 - Por fim, cuidado com o sonho do negócio próprio. Se quiser considerar qualquer alternativa autônoma, lembre-se de que para isso é preciso analisar seu perfil com cuidado, preparar-se, planejar e pedir ajuda a quem entende do assunto. Não há milagre nem ganho fácil nessa opção.

O segredo para se manter atraente para o mercado - seja em um emprego com carteira assinada ou em um modelo alternativo - está em valorizar as suas competências e desenvolver outras novas. Pode ter certeza que sempre haverá espaço para pessoas que cuidam bem de suas carreiras.

Vicky Bloch é professora da FGV, do MBA de recursos humanos da FIA e fundadora da Vicky Bloch Associados

 

Publicado no Valor Econômico



 
Voltar pra todos