Atenção!

Este portal não está homologado para o seu navegador, portando, erros poderão ocorrer.
Para evitar falhas utilize: Internet Explorer 7, Mozilla Firefox 3, Google Chrome 2, Apple Safari 5 ou versões superiores.

X Fechar

Notícias

Em destaqueEducação: um ganho real

Aumentar Fonte Diminuir Fonte Fonte Normal
 

Educação: um ganho real

 

Artigo publicado no jornal A Notícia em 05/01/2016 por Bernt Entschev, headhunter e fundador da consultoria De Bernt Entschev. Trabalha com recrutamento de executivos há mais de 25 anos.

 

Quem está no mercado de trabalho precisa sempre se atualizar. Isso não é novidade. Educação é investimento e se reflete diretamente no salário. Uma pesquisa da Fundação Getulio Vargas, de uns anos atrás, mostrava que, para cada ano de estudo há, em média, um aumento de 15% nos rendimentos do trabalhador brasileiro. Basta conferir a folha de pagamento das empresas para ver que a tendência continua e é real.

 

O mundo está cheio de normas e leis que regem as profissões. Várias delas precisam de educação formal para serem exercidas. Caso das engenharias, da medicina, da contabilidade. Outras, porém, se baseiam no conhecimento técnico e comportamental, que pode ser adquirido de várias formas, inclusive na prática diária. Entretanto, esse não é um caminho único. Quem se baseia apenas na educação informal normalmente tem dificuldades em alcançar cargos mais altos nas organizações.

 

Os jovens - e até alguns profissionais de meia-idade - por vezes têm dificuldades para perceber a relação direta entre a educação e seus rendimentos. Antigamente, para se candidatar a um emprego, bastava o chamado segundo grau, atual ensino médio. As exigências foram crescendo e hoje nem a graduação num curso superior é suficiente. Muitas empresas já colocam na sua solicitação para contratação os cursos de Pós-Graduação. Por isso, o profissional deve ter em mente que a cada três ou quatro anos deve buscar curso de aperfeiçoamento, de preferência em grau superior ao anterior.

 

Cursos no exterior tendem a ser ainda mais valorizados, pois trazem embutidos também uma experiência cultural. As classes habitualmente reúnem alunos de vários países e continentes, o que propicia um aprendizado paralelo que só a convivência com outras culturas proporciona.

 

E tem ainda um ganho extra: quem estuda mais costuma ser mais respeitado pelos colegas de trabalho e chefia. Na prática funciona assim, então pense em que curso pretende fazer em 2016. Não perca tempo e ganhe mais. Quem se baseia apenas na educação informal normalmente tem dificuldades em alcançar cargos mais altos nas organizações.



 
Voltar pra todos

O curso é fantástico, desde a didática do professor, interação dos alunos e estrutura da instituição

Erick Reis Daniel NEGOCIAÇÃO AVANÇADA - BH
Ver todos depoimentos
Junte-se à IBS/FGV no facebook